17 – Preserve sua individualidade

Individualidade

Preserve sua individualidade!

Por que esse tema é importante? Porque mexe com a nossa essência, com quem nós somos e como percebemos as experiências que vivemos.

Eu, por exemplo, quando vou a um restaurante, sempre gosto de pedir pratos novos, diferentes, que não tenha experimentado antes. Já meu esposo gosta de pedir um prato específico. E, às vezes, me questiona o porquê desse meu comportamento? Eu também o pergunto sobre o dele.

A grande pergunta que eu faço é essa: Minha vontade é pecado? Desagrada a Deus ou não?

Confesso que nem sempre fui assim. Essa tem sido uma decisão bem recente e considero-a libertadora.

No início Deus criou todas as coisas e o homem as nomeou individualmente, conforme a sua espécie. O Senhor nos fez com características únicas e nos designou para diversas atividades. Isto nos diz que o Senhor nos deu uma individualidade que deve ser respeitada até o limite de não se transformar em um individualismo, que é pecado!

“Assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros e esses membros não exercem todos a mesma função, assim também em Cristo nós, que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros. Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada.” Romanos 12.4-6a

Podemos ser boas companhias para todos, quando aceitamos tudo e sempre fazemos o que querem que a gente faça e sem colocações. A boa questão é: isso é exatamente o que quero fazer e gosto? Tudo bem ceder desta vez?

Este posicionamento também é levado para o nosso relacionamento amoroso. Não é necessário que queiramos fazer sempre o que o outro queira, embora seja bem legal quando ambos têm os mesmos gostos, o que é realmente raro. O Senhor nos fez para complementarmos um ao outro. E nessa tarefa de combinar personalidades diferentes e entender essas diferenças podemos enriquecer nossa vida e amar o outro mais facilmente.

Conheço casais em que um dos cônjuges sempre decide e direciona todas as decisões sem levar em consideração ou sem saber o que o outro quer ou deseja. Com o passar dos anos, a parte que não é indagada fica despersonalizada, já não sabe mais quem é. E isso não é bom!!!

O Senhor deseja que você possa amar e ser amado com suas diferenças e, nesse caminho de amor, descobrir que o outro tem sua individualidade e, mesmo assim, juntos, lutam contra o individualismo, equilibrando os sonhos e as vontades mútuas.  Você poderá iniciar o processo de equilíbrio orando, inicialmente, e depois conversando sobre os pontos positivos e negativos que você tem experimentado. Lembre-se de que a mudança não acontece em um estalar de dedos, mas é um processo que precisa ser iniciado!

Que Deus te abençoe e te faça firme e feliz nessa caminhada!

Um grande abraço,

Samara Queiroz
Líder da Rede de Mulheres
Igreja Cidade Viva – www.cidadeviva.org 

Deixe uma resposta