Dia 38 – Abdicando um pouco mais

dia38.png

Dia 38 – Abdicando um pouco mais

“_ Mãe, eu queria tanto um cachorro…”
“_ Pai, vem fazer a tarefa comigo?”
“_ Vem brincar comigo?”
“_ Não me deixa sozinho!”
“_ Deixa eu te contar o que aconteceu hoje? “

Com certeza você já ouviu uma dessas frases e, algumas delas, repetem-se como um roda gigante sem parar. Outras não foram citadas aqui. Ao invés de ficar irritado, que tal pensar que o seu filho tem algumas necessidades, medos, inquietações?

Essas frases podem não ter nada a ver com o que você ensinou, muito menos com o seu jeito de ver a vida ou de vivê-la. Lembre-se mais uma vez de que o seu filho é diferente de você, tem características específicas e tem registrado suas experiências de vida de forma única e individual.

Ele pode precisar mais de um carinho, por ser mais sensível ao toque físico; ou exigir de você um ouvido mais atento; companhia e aprovação. Preste atenção nos sinais que ele tem te dado e trace momentos que possam suprí-lo mais naquilo que necessitar. Que mensagem ele tem te passado com suas perguntas? Essa é a chave essencial.

Com o meu trio tem sido uma verdadeira ginástica durante a jornada de nossas vidas: um era mais dependente para estudar quando criança, exigia a minha presença para fazê-lo, até eu ter que intencionalmente promover uma autonomia saudável. Fiz isso com conversas francas sobre a minha incapacidade de tempo em estar com ele e sobre sua habilidade/inteligência em conseguir fazer todas as tarefas sozinho, tirando dúvidas comigo e com os professores. Deu certo!

Já a outra era totalmente independente para estudar e a terceira gostava mais de uma ajuda, mas conseguia desenrolar-se sozinha.

Poderia citar aqui “n” situações diferentes, mas vou focar na mais desafiante de todas, recentemente, em nossa casa. Nossos filhos sempre nos pediram para criar um cachorrinho. Eu pensava que seria impossível com nossa rotina de vida e de viagens, e de juízo rsrsrsrsr para isso. Eu sempre dizia: “_Nem pensar!!! De jeito nenhum!!!! Não!! Não!! Não!!!

Daí, tentamos opções mais fáceis: peixes, hamsters e, por fim, uma calopsita. Mas nenhum deles supria a necessidade de nossos filhos em demonstrar afeto e compartilhar carinho, principalmente da nossa filha mais nova.

Foi quando eu e meu esposo decidimos dar uma passo a mais e abdicarmos do nosso conforto e da tranquilidade para suprir as necessidades dela. Meu esposo disse: “_ Samara, cachorro é uma decisão sem volta!” E eu sabia disso, mas também sabia que podemos fazer qualquer coisa que está ao nosso alcance por amor a um filho. Amar para mim também é uma decisão sem volta. 

O que aconteceu depois disso? Gente encontrada no chão da casa brincando com a cadela feliz da vida. Imagens inesquecíveis!!! É bem verdade que a casa jamais foi a mesma, mas a alegria de voltar do trabalho tem sido bem maior. Minha filha, de vez em quando fala: “_ É o melhor presente que uma pessoa pode ganhar na vida”. Entendo que nesse presente ela recebeu a mensagem de abnegação nossa por amor a ela. Nossa atitude tem refletido positivamente em muitas outras áreas do nosso relacionamento.

Não sei qual é a sua situação, mas se você prestar atenção a ela e decidir ir um pouco mais em seus conceitos e limites em prol de seus filhos, o Senhor lhe dará graça e sabedoria, em nome de Jesus.

“Qual pai, do meio de vocês, se o filho pedir um pão, lhe dará uma pedra, ou se pedir um peixe, em lugar disso lhe dará uma cobra? Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai que está nos céus dará o Espírito Santo a quem o pedir!” Lucas 11.11-13

Que o Espírito Santo do Senhor seja derramado em sua vida com poder e sabedoria para amar seus filhos de maneiras extraordinárias!!!

Quero saber de sua história!!! Conte-me em contato@samaraqueiroz.com.

Um grande abraço!

Samara Queiroz

Versículos bíblicos utilizados na versão NVI-Nova Versão Internacional

Deixe uma resposta