Dia28

Dia 28 – Corrigindo atitudes

Hoje continuamos nossa longa, maravilhosa e desafiante tarefa de amar nossos filhos.
Um fato que ocorre sempre é a correção/ajuste que precisamos dar no dia a dia deles e nas tarefas simples do cotidiano.

“Deixa de ser bagunçado, menino!!!”, “Fulano é muito preguiçoso”, “Sicrano não é estudioso” e assim são outros rótulos que vamos aos poucos colocando em nossos filhos. E, como são palavras vindas de quem mais os conhece, é claro que os filhos terão todas elas como verdadeiras e imutáveis. Características perenes e consolidadas por toda a vida.

A sugestão de hoje é que você evite sempre taxar o “ser” do seu filho e focar na ação que ele está fazendo. Desta forma, você não o rotula, mas classifica apenas a sua ação, que poderá ser alterada com a vontade e empenho dele. Em outras palavras, nós corrigimos e criticamos as atitudes deles, o que estão fazendo e não eles mesmos. Dessa forma, damos a chance de mudança e de superação.

É preciso estar atento com isso para não se esquecer e acabar voltando aos erros antigos. Nos exemplos citados acima, você pode corrigir dessa forma:
“Você fez uma bagunça, menino. Vá arrumá-la. Eu sei que você pode fazer melhor” e, logo após a atividade concluída, mesmo que não seja com toda a perfeição, elogie o esforço dele; “Não deixe para fazer as coisas de última hora. O que tem para fazer faça logo”;
“Você não tem feito o esforço necessário em relação à escola. Preste atenção, foque. Sei que você pode conseguir bons resultados.”
Ou você pode optar por dizer: “Não aja dessa forma, se você continuar agindo assim as pessoas pensarão que você é XXXXXX e eu sei que isso não é verdade”.

Meu filho mais velho iniciou nos esportes jogando futebol de salão. Mas o primeiro jogo dele foi uma negação, ele jogou muito mal e eu pensei comigo mesma que ele jamais seria um bom atleta. Mesmo assim, já sabendo desse princípio, não o critiquei nem disse que ele foi péssimo. Disse: “Filho, você fez o seu melhor. E isso é suficiente!” Com o tempo colocaram-no como goleiro do time e por vezes chegava em casa com o nariz sangrando. Ao invés de acabarmos com a carreira esportiva dele de uma vez por todas, decidimos mudar o esporte e colocá-lo no basquete. O menino se encontrou e fazia muitas cestas, era armador do time, foi campeão paraibano pela escola e também participou da seleção paraibana de basquete. Agradeço ao Senhor por ter me dado a oportunidade de não deixar o meu filho sem esperança em sua prática esportiva.

Confie, acredite, ame deliberadamente…

O Senhor nos amou mesmo sendo pecadores e enviou seu filho Jesus Cristo para morrer por nós a fim de que tivéssemos livre acesso a Ele. Que amor maravilhoso! Por este amor e com este amor, nós podemos todas as coisas!

Que o amor do Senhor transborde em você e por você a fim de que possa conhecer a largura, a altura, a profundidade e o comprimento deste amor de maneira sobrenatural.

Um grande abraço!

Samara Queiroz

Versículos bíblicos utilizados na versão NVI-Nova Versão Internacional